NOVO PARADIGMA: EMPREGO-SALÁRIO X TRABALHO-RENDA

Durante muitos anos a YAMADA Educação tem trabalhado para a formação dos profissionais do setor de TI das Empresas de Maringá e região. Iniciamos nossa empresa em um tempo em que a tecnologia era de acesso de muito poucos e seu domínio era de extrema complexidade e altamente oneroso.

Nos dias de hoje, graças a um visionário chamado Steve Jobs, a tecnologia é acessada e usufruída por crianças que ainda não andam e nem falam. A tecnologia invadiu nossas casas, nossas escolas, nossas empresas, nossos governos, e causam grande impacto em NOSSOS EMPREGOS de forma POSITIVA e NEGATIVA também.

Os custos e o passivo trabalhista pressionam o empreendedor de um lado e a crise econômica de outro. O resultado é um país em que os custos trabalhistas somados a uma pesada carga tributária inviabilizam a sustentabilidade de grande parte das micro e pequenas empresas brasileiras.

Esse fenômeno de substituição de mão de obra humana por recursos tecnológicos,  não acontece apenas no Brasil, já é uma mega-tendência mundial. Acontece há muito tempo nos EUA, na Europa e mesmo a China, que é o maior país socialista do mundo, teve que se render a um futuro com menos empregos mas com mais desenvolvimento.

A relação EMPREGO-SALÁRIO dá lugar a uma outra relação: TRABALHO-RENDA. O VALOR DO TRABALHO (RENDA) também mudou: antes o trabalho era medido por HORAS-TRABALHO, hoje é medido por PRODUTIVIDADE, ou melhor, pela MERITOCRACIA. Afinal, o que gera riqueza são VENDAS e não quantidade de tempo dedicado ao TRABALHO.

Não nos cabe entrar no mérito se é mais ou menos justo. O fato é que não podemos negar  que o mundo está, cada dia mais, moldando suas relações de trabalho e renda no novo modelo meritocrático.

O exemplo mais contundente dessa nova realidade é o crescimento alucinante de empresas que estão adotando a VENDA DIRETA como alternativa de alcançar o mercado consumidor. O Brasil deve experimentar uma explosão de lançamentos de produtos inovadores, de alta qualidade, com metas ambiciosas de conquistar um “naco” desse mercado bilionário.

O que muda nesse novo cenário é que o EMPREGO dá lugar ao TRABALHO EMPREENDEDOR e o salário dá lugar a BONIFICAÇÕES e PRÊMIOS por METAS atingidas.  Se de um lado, o trabalhador perde a segurança de um salário no final do mês, ganha a possibilidade de multiplicar o valor o seu rendimento na medida que sua produtividade aumenta, ou seja, seu salário será VARIÁVEL e não terá mais um “piso salarial” e nem um “teto salarial”… O resultado gerado por cada um representará seu próprio “piso” e o seu próprio “teto”.

 

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *